sexta-feira, 25 de abril de 2008

A Projecção dos Sonhos.

Abri os olhos e estava sol! Aquele sol que faz com que o ar cheire a ferias de verão, sem preocupações e em que se respira (e transpira) paz? Esse mesmo. O raio da chuva misturada com os pares Acido/Base já me estava a deprimir. (Acho que vou reformular a minha teoria: a Física e Química A é a chuva da minha vida!)
Saí da cama para despejar cereais de chocolate (Tabém, sei que esta a chegar o verão mas o chocolate faz.me mais feliz que os corpos de praia) no leite e levar a tigela para a beira do meu pai lá fora que cheirava a café e olhava o verde. Falamos de discussões objectivas e subjectivas. Tentei explicar-lhe que para o objectivismo da Biologia já me chegava a escola e ele calou-se. Acho que ao fim de 17 anos comigo, percebeu que não me vai conseguir fazer gostar dos números inalteráveis e que vou (inevitavelmente) cair para o lado dele.
A minha secretaria está organizada de uma maneira a que se a minha vida se passasse n'Os Mais, seria um indicio do futuro (da tragédia mais propriamente dita). Os números, as reaçoes alcalinas e os calhãos estão a um canto, arrumadinhos, com a aspecto de quem só é pegado relutantemente. O resto da secretaria (que não é assim Tao pequenina) está preenchida atabalhoadamente com os óculos bigalhoes, camera fotográfica, partituras, recortes de jornais, palavras e sensações soltas de quem saboreia o futuro que ainda não chegou mas chegará eventualmente.
O resto das pessoas não sabem. Se calhar nunca se deram ao trabalho de pensar que aquelas duas miúdas, quando falam de futuros promissores em que trabalham com a alma e criatividade em vez de com a mente , quando imaginam imagens perfeitamente estilizadas e lhe chamam de arte, quando deliram com palcos, imagens, luzes, sensações, projectos e tonalidades, estão a falar aserio.

O resto das pessoas não compreende que a "sociedade" e o "mundo" de que nos falam, tem vindo a evoluir porque gente como nós não se juntou a ele. Por isso é que quando falamos com o resto das pessoas temos que falar em linguagem que elas intendam. Temos que falar em planificações de perguntas de resposta aberta, com três tópicos, com encadeamento lógico-temática, e não nos esquecermos de que h tende para 0, porque senão, coitadas de nós, não somos levadas aserio.

domingo, 6 de abril de 2008

Arriscar.

" e se me empurrarem de um abismo direi apenas: - E depois qual é o problema? Eu adoro voar!"


Gostaria de reformular esta opinião...Não me vão empurrar...eu vou saltar de livre vontade. Exactamente com o propósito de voar!


E depois só pode acontecer uma de duas coisas: ou consigo realmente voar ou caio. Mas se cair, pelo menos vou voar um bocadinho .
 

Letras e Tons | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates