terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Não.

Não me olhes assim, com esse olhos que me condenam por querer ver o cor-de-rosa da coisa. Já sei que não tem nada de cor-de-rosa. Mas, eu queria tanto, tanto que fosse como nos filmes em que passado muitos anos ficam os melhores amigos.

Não me faças perguntas difíceis.

Tenho o direito de te odiar por teres tido o meu loiro a esvoaçar nos teus dedos e na tua pele morena e por teres brincado com as mesmas palavras, vezes sem conta, sem que eu me apercebesse do circo para onde me induzias. Onde tudo era cores, movimento, sorrisos e música.

Não me obrigues a descobrir o que não quero.

Demorou algum tempo para perceber que não posso querer-te por perto, não para já. Talvez um dia voltes, talvez voltes quando eu te tiver de dizer que cresci, talvez aí, estaremos os dois em pé de igualdade. De emoções.

Não me olhes como se eu fosse igual a ti. Senti muito mais.

Quero-te. Longe.

Já me tiveste a nu. - Não me relembres.

Pensamentos rascunhados desafia...

Portanto, fui desafiada pela Mayanne e vou aceitar que isto é altamente :P
Basicamente as regras são: «Você diz 9 coisas aleatórias a seu respeito, não importando a relevância.Tendo de ter 6 verdades e 3 mentiras. Quem receber o Meme, deverá postar as 3 coisas que acha serem as mentiras do blogueiro que lhe passou o Meme».
Eu tenho de adivinhar as falsas da Mary e SEI que sao:

-Participei num anuncio de tv quando tinha 5 anos (eras feia :P)
-Estudo violino no conservatório de musca do porto (nem sabes fazer um dó já :P)
- Este verao foste para londres com duas amigas :P

As minhas verdades e mentiras são:
-Sempre quis ter um carrinho de supermercado
-Quero seguir medicina
- Já odiei cor-de-rosa
- Nadei com golfinhos
- Adoro banana
- Faço trabalhos como modelo
- Adorava viver na Australia
- Estou desconcentradas em todas as aulas de matematica
- Falo com estranhos nos transportes publicos.

E agora Pensamentos Rascunhados desafia:
a autora de «Dancemos no Mundo»
as autoras de «Mãos no Fogo»
o autor de «Desatino Geral»


Have fun :P

domingo, 15 de fevereiro de 2009

(ri-se de forma estonteante e genuína)

Pelo pátio com varanda da Capuleto e relva semeada atabalhoadamente, ecoava o som da lembrança de tempos solarengos com a previsão de gargalhadas futuras. Ao fundo, orientada na direcção da luz, estava uma delas, vestida de negro a tentar absorver o amarelo para lhe iluminar o corpo. Chegou outra delas - " Como é que sabia que ias estar aqui?" O nariz empinadinho sorriu com os olhos pequeninos e sentou-se também, qual continuação da agulha-mãe virada para o norte que era o Sol.


Silêncio. Minto. Silêncio de palavras, alma preenchida por sentimentos e melodias de violinos, pianos, clarinetes e risos cantados.


"Sabes, ontem tive um dia tão bom, tão feliz que à noite o meu coração começou a bater mesmo muito, até fiquei com medo."

"Se calhar não estas numa paz tão completa como julgas."

"Mas eu já decidi que o un.finished business ia acabar, Ficou por ali, naquela noite"

"Mas isso não és tu que decides babe."

"Mas agora eu era, está bem?"


Ali, no lugar da (nossa) felicidade, no aconchego, sentiu-se (igualmente, quais irmãs) o apertozinho, o véu subtil que é a unica coisa que impede o Nirvana.

Ainda assim, todas as semanas, elas e eles pertencem-se, são a paz que procuram, o sucesso que ambicionam, a familia que sentem. E o melhor é que o sabem. Teêm plena noção que vivem no mais expetacular musical alguma vez pensado.




"Professor, eu queria saber como é que se ri de forma estonteante e genuína" - "Estonteante é como tu te ris. Genuíno é o que vocês são."






quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Cortina ao vento solar.



Luz e escuridão.






A tua sombra começa a tornar-se cada vez mais luminosa. Acho que começo a ver as coisas moldadas e modeladas, como uma melodia, como o árduo trabalho que é pegar na folha de papel e transformar os pauzinhos com bolinhas no mais doce aconchego musical. Tudo é musica (ou se calhar só na minha vida o é). A tua imagem em mim está a descolar-se lentamente da forma escura que há muito vinha por acréscimo e a juntar-se ao lugar onde já pertenceu, outrora, antes de deitares o meu girassol janela fora e o teres substituído pelo gato. Antes de me teres descoberto, antes de me teres tomado como tua, numa sintonia (ou sinfonia) que soava a "quase-para-sempre" e que foi quebrado porque não soubemos, não soubeste encontrar o equilíbrio que sempre demos como certo. E perdemos. Antes de tudo isso, eras o que te estas a tornar. Uma imagem clara, leve, tão essencial e despercebida como um fôlego.






Como disse, começo a ver as coisas moldadas, pelas cores. Pela conjugação da noite com o dia, não há bem sem haver mal. Porque afinal vivemos"no melhor dos mundos possíveis" e o tudo que é criado "é necessariamente para o melhor dos fins." E portanto, darling, começas a ganhar contornos de quente, delicioso, como o sol de Inverno a aquecer a alma á tanto tempo apagada por véus escuros sucessivos.






Hoje está sol . Hoje estou bem. Alguém me há-de redescobrir.








 

Letras e Tons | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates