terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Não.

Não me olhes assim, com esse olhos que me condenam por querer ver o cor-de-rosa da coisa. Já sei que não tem nada de cor-de-rosa. Mas, eu queria tanto, tanto que fosse como nos filmes em que passado muitos anos ficam os melhores amigos.

Não me faças perguntas difíceis.

Tenho o direito de te odiar por teres tido o meu loiro a esvoaçar nos teus dedos e na tua pele morena e por teres brincado com as mesmas palavras, vezes sem conta, sem que eu me apercebesse do circo para onde me induzias. Onde tudo era cores, movimento, sorrisos e música.

Não me obrigues a descobrir o que não quero.

Demorou algum tempo para perceber que não posso querer-te por perto, não para já. Talvez um dia voltes, talvez voltes quando eu te tiver de dizer que cresci, talvez aí, estaremos os dois em pé de igualdade. De emoções.

Não me olhes como se eu fosse igual a ti. Senti muito mais.

Quero-te. Longe.

Já me tiveste a nu. - Não me relembres.

15 rascunhos alheios:

Débra disse...

"Mas, eu queria tanto, tanto que fosse como nos filmes em que passado muitos anos ficam os melhores amigos."

Escreves mesmo bem tani, parece que vivemos tudo isso.

Parabens *
Beijinho

Marianinha disse...

(tinha aqui grande comentário e esta porcaria deu erro).

Quando tu chegares a esse patamar de igualdade (e eu sei que vais chegar, ou até mais acima), não vais querer odiar plo teu loiro ter esvoaçado nos seus dedos, vais querer lembrar de como tudo era cores, movimento, sorrisos e músicas. Porque isso Tani, é que é bom de lembrar. E enquanto tudo valer a pena (quando a alma não é pequena) o melhor é mesmo guardar todas essas lembranças, e recordá-las com um sorriso, porque tudo isso tb te fez crescer, e toda a ruptura te está a fazer crescer ainda mais.
(e como sentiste mais, vais crescer e chegar a um patamar ainda maior. e eu acredito que melhor, muito melhor para poderes lembrares sem magoar).

and i know that you're strong enough to go through everything. you've already done that and you'll keep doing. *

love you Sis'*

baby piggy disse...

«Já me tiveste a nu. - Não me relembres.»
Grande, muito bom texto e este final 'arrebenta' com tudo.
Gostei muito (:

Davi(d) disse...

Identifiquei-me, um pouquinho.
Obrigado Tani, eu acho que também escreves bem :)
beijinho :*

Xaninha disse...

Vai ficando mais leve, mais fácil com o tempo, dizem...
Não dizem é que o tempo passa de maneira diferente para uns e outros!
Mas se o teu caminho é maior, também estás a aprender mais com tudo isto e estás a crescer.
Agora deixa que o tempo e o vento levem o resto de vontade de tê-lo e deixem só a memória aconchegadora da música, dos sorrisos, da cor e do movimento do teu cabelo loiro nos dedos e na pele dele. Não o queiras odiar Tânia, até porque não sei se o consegues fazer verdadeiramente. Agora ainda dói, mas não tarda nada vais ver que deixa de doer..
E entretanto eu estou aqui, para deitares a cabeça no meu colo, sentires o sol varrer essa inquietude do teu peito e trazer-te de volta a paz para começares de novo :)

*

Jo. disse...

Deixando de parte a maravilhosa forma como construiste frases e imagens bonitas, adorei pela sinceridade (do costume).

Eu sabia que serias honesta contigo própria e assim, sim, és.
E eu sou contigo: talvez volte.
Pra já não, seremos realistas *

(somo-nos, está bem?)
<3

Miguel Novo disse...

O tempo não tem tempo, tu tens?
Se tudo não passa de ficção, tudo é ilusão porque perdemos tanto tempo focados com a ignorancia de acreditar que a felicidade existe?
A felicidade e infelicidade não passam de ilusões, quando somos giros, bons, ricos ou fizemos alguma coisa de util temos todo o mundo a bater-nos à porta, quando choramos o tempo por em tempos termos acreditado nele vemos que perdemos "momentos" tão desnecessariamente, andamos a dar valor a pessoas que não o mereciam e deixamos de dar a outras que até nos iam dando valor... A vida é assim... Dificil é perceber a quem devemos dar o tanto que temos para dar de nós . ;)

Silvana disse...

Todos nós acabamos por passar por isso, todos nós idealizamos certas coisas e por fim chegamos á realidade, crua e fria.

Mas não podemos deixar de lutar e seguir em frente, porque a vida é feita disto :)

está lindo o texto *

Ana Moreira disse...

estou estampada neste texto!
acredita, quando cresceres vais estar acima, até porque tal como tu dizes, sentiste mais e isso é ser maior.

um grande beijinho

x Inês ( ? ) disse...

Não me olhes como se eu fosse igual a ti. Senti muito mais.

Simplesmente brilhante .

MG disse...

Não me olhes como se eu fosse igual a ti. Senti muito mais.

espectáculo.

MG disse...

Não me olhes como se eu fosse igual a ti. Senti muito mais.

espectáculo.

Débra disse...

PARABENS tani :'D

Débra disse...

De nada :b
Os naos foram bons ? :D

Débra disse...

Tani hoje fui um bocado antipatica e quase nem liguei :s
desculpa .x

 

Letras e Tons | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates