quarta-feira, 25 de novembro de 2009

I am game.


- Sabes qual e o problema de amar um homem que ama amar? E que ele nunca vai ser só teu. Eles foram desenhados assim - para serem os melhores amantes e depois partirem sem palavra. Não se pode doma-los.

- So quero encontrar alguém para amar. Would you find me somebody to love?

- Tu e que o tens que encontrar. Mas não o podes procurar.



quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Not enough love.

Camarins. SAM despe o vestido, ficando de corpete, tira os saltos e senta-se olhando-se no espelho. Olha em volta, procurando alguma coisa e volta a olhar-se no espelho durante algum tempo. SAM ouve vozes no corredor e apressadamente comeca a remover a maquilhagem. JOHN entra no quarto sem bater a porta ainda a falar com alguem fora.

JOHN: Oh, muito muito obrigado...Sim sim, segunda-feira alguem lhe envia isso...Sim, la estaremos...Tudo bem entao... (risos enquanto fecha a porta e entra) Sam, oh, ainda bem que jas te estas a despir, temos que nos despachar que nao quero deixar o Mark a espera. Estive com a Sue agora, disse-me que ia escrever mal chegasse a casa e que sabado ja devia vir na revista. Disse que estava impressionadissima com casa cheia ao fim de dois meses. Que nunca esperou que um trabalho tao inovador... Disse que ia por o nome John Parks de novo nas paredes do metro. Nao e... Claro que tambem disse que estavas encantadora como sempre. Mas acho que a tua cena do quarto esta a ficar cada vez pior, ja esteve tao intensa, falta-lhe um bocado do passado, um bocado da nostalgia. Ja conseguiste te-lo tao perfeito Sam... E o teu dueto com o Shaun estava com pouca energia hoje, apercebeste-te disso?

SAM: Tens razao...

JOHN: Quer dizer, nao esteve mal nem nada mas aquele brilho que tu tinhas no olhar, hoje nao estava la... Dava-lhe aquela alegria de recem-casados sabes? Quase nem parecias tu hoje e...Sam? Porque raio e que estas a chorar? Desculpa, nao foi por mal mas... Nao...

SAM: Happy Anniversary, Burton...

JOHN: Shit... Sam, desculpa, eu...Eu tinha-me lembrado a semana passada mas...tambem nao podes esperar que me lembre de todas as vezes que ja acabamos e voltamos a comecar nao e? Nao e como se estivessemos casados nao e? Sam?

SAM: Nao, tens razao, nao e como se fossemos casados.

JOHN: Sam, tu conheces-me! Eu nao sou de casamentos, tu sabes. Eu nao sou de romantismos, tambem sabes disso. Do que e que estavas a espera? Que eu mudasse ao fim de 10 anos? Sam, nos estamos bem, assim.

SAM: Tu estas bem. Eu nao estava a espera que aparecesses com um ramo de flores vermelhas e uma orquestra de violinos a tocar a nossa musica que, by the way, nao temos porque "tu nao es de romantismos". Fine. Mas queria que te lembrasses John, que me admirasses hoje, so hoje, por ser, supostamente, a tua mulher e nao a actriz que tras publicidade a esta companhia.

JOHN: Oh por favor, tu...

SAM: Sou eu que te estou a levantar da lama e tu sabes disso. Eu nunca, nunca imaginei acabar nesta posicao John. E sabes o que e o mais ironico? E que a muitos anos atras, alguem me perguntou se eu me imaginava a acordar todos os dias ao teu lado. E eu, na altura que ainda era uma crianca sedenta por amor, sorri e disse que sim, que era onde me imaginava a ser mais feliz. Porque tu escreverias as tuas pecas e eu representaria numa companhia qualquer. Mas quando chegassemos a casa podiamos esquecer o teatro e viver as historias que nunca correm bem no palco. E sabes o que e que acontece agora? Acontece que eu aturo o teu feitio todos os dias a todas as horas. Obedeco-te porque es o meu director mas tenho que compreender os teus ataques porque es meu...qualquer coisa que nem marido e. Nao sou elogiada porque nao seria correcto para os outros actores mas e suposto saber que me admiras. Perdi-te John porque o palco sugou o amor que restava. E o teu ego levou o meu respeito pelo teu trabalho.

JOHN: Nao te vou implorar para ficares, se e disso que estas a espera.

SAM: Eu sei. Era bom, mas sei que nao o vais fazer.

JOHN: Es muito pouco sem mim. Nunca estiveste nesta industria sozinha. Nao vais durar muito.

SAM: Eu sei... Eu sei.


domingo, 1 de novembro de 2009

Life is yours alone.

Tem piada. Damos tanta importância a casa e no final "home should be where the heart is". Voltei a minha casa e percebi que já não cabia la. Ate não foi uma sensação ma. Foi só uma sensação diferente.
Acho que o meu mundo mudou, já não sou a mesma e ainda estou a tentar conhecer o novo ser que nasce dentro de mim e me transforma sem eu dar conta.
O futuro torna-se mais incerto a medida que me vou aproximando dele, as imagens que tinha tão claras do amanha começam a desvanecer. Já não tenho planos B. Nem sequer tenho plano A. Não tenho trampolins para me apanhar. Se calhar e por isso que lhe chama o Big Jump.
Desprendi-me de inibicoes. Já não tenho idade para fugir do que sou por não gostar do reflexo. E sabes, e muito interessante ver o quanto nos passa ao lado quando estamos fechados no nosso universo pequenino. Porque não nos apercebemos que a maioria das pessoas que tomamos como grandes não circulam muito alem do seu mundinho.
Senta-te comigo e olha ali. Procuram o sexo como se de amor se tratasse e ainda não perceberam a diferença entre os dois. E olha aqui - tanto diz que quer ser amado e não quer abrir o coração para deixar o afecto entrar. Diz que já foi magoado o suficiente. E estas a ver aquele rapaz ali? Deixou família, amigos e porto seguro para seguir para onde a vida o puxava. Agora fecha-se no trabalho porque ali tudo faz sentido, sabe que não vai ser apanhado de surpresa e cair quando tudo fazia sentido. A vida puxou-o para um sitio muito longe de casa e trocou-lhe as voltas. E aquela rapariga? Esta numa casa onde todas as paredes a lembram de amigos que partiram e amores acabados em lágrimas. Já não tem amante a dar-lhe sentido aos dias e quem manda agora e ela. E forca para isso, onde esta? E sabes aquele rapaz com ar de homem? Não e homem nenhum, continua aprisionado na mente de menino porque, tal qual Peter Pan, achou que podia pedir a quantas Wendys quisesse para ficarem com ele. Planos A, B C e D. E ainda não percebeu que assim não resulta. E uma das Wendys ganhou juízo e abdicou desse papel, assim há mais amor para outras pessoas. Mas sabes, aceitar amor também não e assim tão fácil. "A partir do momento que se cativa alguem fica-se responsável por ela". E ela cativa tanto que e impossível não se apaixonar por ela. E ela nem sabe do amor que tem a volta dela...
Vês? Não faz sentido nenhum. E demasiado aleatório para eu compreender. Por isso desisto. Sento-me e observo.
 

Letras e Tons | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates