quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Not enough love.

Camarins. SAM despe o vestido, ficando de corpete, tira os saltos e senta-se olhando-se no espelho. Olha em volta, procurando alguma coisa e volta a olhar-se no espelho durante algum tempo. SAM ouve vozes no corredor e apressadamente comeca a remover a maquilhagem. JOHN entra no quarto sem bater a porta ainda a falar com alguem fora.

JOHN: Oh, muito muito obrigado...Sim sim, segunda-feira alguem lhe envia isso...Sim, la estaremos...Tudo bem entao... (risos enquanto fecha a porta e entra) Sam, oh, ainda bem que jas te estas a despir, temos que nos despachar que nao quero deixar o Mark a espera. Estive com a Sue agora, disse-me que ia escrever mal chegasse a casa e que sabado ja devia vir na revista. Disse que estava impressionadissima com casa cheia ao fim de dois meses. Que nunca esperou que um trabalho tao inovador... Disse que ia por o nome John Parks de novo nas paredes do metro. Nao e... Claro que tambem disse que estavas encantadora como sempre. Mas acho que a tua cena do quarto esta a ficar cada vez pior, ja esteve tao intensa, falta-lhe um bocado do passado, um bocado da nostalgia. Ja conseguiste te-lo tao perfeito Sam... E o teu dueto com o Shaun estava com pouca energia hoje, apercebeste-te disso?

SAM: Tens razao...

JOHN: Quer dizer, nao esteve mal nem nada mas aquele brilho que tu tinhas no olhar, hoje nao estava la... Dava-lhe aquela alegria de recem-casados sabes? Quase nem parecias tu hoje e...Sam? Porque raio e que estas a chorar? Desculpa, nao foi por mal mas... Nao...

SAM: Happy Anniversary, Burton...

JOHN: Shit... Sam, desculpa, eu...Eu tinha-me lembrado a semana passada mas...tambem nao podes esperar que me lembre de todas as vezes que ja acabamos e voltamos a comecar nao e? Nao e como se estivessemos casados nao e? Sam?

SAM: Nao, tens razao, nao e como se fossemos casados.

JOHN: Sam, tu conheces-me! Eu nao sou de casamentos, tu sabes. Eu nao sou de romantismos, tambem sabes disso. Do que e que estavas a espera? Que eu mudasse ao fim de 10 anos? Sam, nos estamos bem, assim.

SAM: Tu estas bem. Eu nao estava a espera que aparecesses com um ramo de flores vermelhas e uma orquestra de violinos a tocar a nossa musica que, by the way, nao temos porque "tu nao es de romantismos". Fine. Mas queria que te lembrasses John, que me admirasses hoje, so hoje, por ser, supostamente, a tua mulher e nao a actriz que tras publicidade a esta companhia.

JOHN: Oh por favor, tu...

SAM: Sou eu que te estou a levantar da lama e tu sabes disso. Eu nunca, nunca imaginei acabar nesta posicao John. E sabes o que e o mais ironico? E que a muitos anos atras, alguem me perguntou se eu me imaginava a acordar todos os dias ao teu lado. E eu, na altura que ainda era uma crianca sedenta por amor, sorri e disse que sim, que era onde me imaginava a ser mais feliz. Porque tu escreverias as tuas pecas e eu representaria numa companhia qualquer. Mas quando chegassemos a casa podiamos esquecer o teatro e viver as historias que nunca correm bem no palco. E sabes o que e que acontece agora? Acontece que eu aturo o teu feitio todos os dias a todas as horas. Obedeco-te porque es o meu director mas tenho que compreender os teus ataques porque es meu...qualquer coisa que nem marido e. Nao sou elogiada porque nao seria correcto para os outros actores mas e suposto saber que me admiras. Perdi-te John porque o palco sugou o amor que restava. E o teu ego levou o meu respeito pelo teu trabalho.

JOHN: Nao te vou implorar para ficares, se e disso que estas a espera.

SAM: Eu sei. Era bom, mas sei que nao o vais fazer.

JOHN: Es muito pouco sem mim. Nunca estiveste nesta industria sozinha. Nao vais durar muito.

SAM: Eu sei... Eu sei.


11 rascunhos alheios:

Cátia Vieira disse...

não é ironia, adoro mesmo :D

Poppins disse...

As vezes é bem necessário estes "abanões"! :)

madu disse...

venho ler assim que não tiver um teste de g.d no dia seguinte, porque gosto mesmo muito do que escreves sempre:)


foi muito querida a tua atenção, muito obrigada querida Tani

Débra disse...

adoro a maneira como escreves :)
e não digo que seja a minha vida perfeita aquilo porque não penso no futuro em relação a isso. Aproveito o momento que estou a viver que é bom e vou sonhando :')

Mara disse...

Nem sei o que dizer Tani...não sei mesmo. Estou feita parva a olhar para o que escreveste. É belo.

P.S. obrigado pelo elogio*

Ana Carolina disse...

Estou sem palavras.
Está mesmo muito bom.

Gostava de ver no palco.

Mana * disse...

está fenomenal mana! *

Marie. disse...

não sei o que dizer - que bonito!

M. disse...

eu leio-te e vejo-te crescer a cada texto, como vejo de todas as vezes que te falo.
achei este o mais intrigante dos que tens escrito, porque é muito mais certeiro, é mais ousado e é mais maduro. é um diálogo que nao se espera ler de uma teen, love. adorei, pelo dramatismo amargo, sabes? deixa aquela sensaçao de prepotência dele e o amor injusto dela. amargo, dramático.

mas gostava que soubesses falar do john sem ser na dark twisted box que te falei. uma cena que seja de um amor bonito. as vezes acho que temes escrever sobre um amor bonito porque cai em clichês. eu acho que saberias melhor que isso. eu acho que as tuas palavras nao cairiam num clichê. porque tens crescido a cada texto, meu bem.

Xaninha (baby) disse...

amo-te, mãe, growing like that :) making me grow, making me believe.

M.sunshine disse...

gostaria muito que continuasses a seguir o meu blog. porfavor se também queres manda-me o teu email para: marianamamedesn@hotmail.com e depois apaga este comentário. fico á espera um beijinho :)

 

Letras e Tons | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates