segunda-feira, 22 de março de 2010

Frames

Eu apaixono-me muitas vezes e com muita facilidade, embora conheça muito pouco do Amor. A verdade e que me apaixono muitas vezes e numa dessas vezes, o menino da minha paixão, ensinou-me a tirar fotografias e a resolver o resto do enigma com as imagens que temos. Foi uma boa lição.
Apaixonei-me recentemente por certos pormenores teus. Apaixonei-me pela tua ingenuidade que teimas em querer disfarçar quando e exactamente a tua parte mais bonita. Tens-la nos olhos azuis muito claros quando observas as cenas e te vejo pensar nas tuas falas interiormente. Uma fotografia. Tens-la quando falas da tua família, quando tentas, a medo dar as tuas ideias, sempre no medo de cair no ridículo. Outra fotografia. Eu rio-me da tua maneira de falares, da maneira como gesticulas muito como se isso fosse sacar palavras mais sabias e tu olhas e não percebes do que me riu.
Apaixonei-me pelos teus braços fortes que me abraçaram enquanto me comentavas a suavidade da pele - deve ser uma coisa latina. Apaixonei-me pela maneira com que baixas-te a guarda para me falares do que mais te feria o coração. Apaixonei-me quando no dia seguinte sai de tua casa a sentir o corpo marcado por ti.
Passei algum tempo a tentar perceber o que correu mal aqui, para onde foi a tua ingenuidade pela qual me apaixonei e quem e este homem novo que me continua a prender o olhar. E hoje, enquanto te tirava mais uma fotografia enquanto te preparavas para dançar - tão melhor que eu - percebi. As minhas fotografias não são suficientes, as perguntas que me fizeste não foram suficientes.
Estavamos ambos a deriva a procura de um porto seguro que nos soubesse a casa e vimos nos braços um do outro, completos estranhos a tentar fazer amor como velhos amantes. Não funcionou, não conheces as minhas mares, eu não compreendo o teu espaço. E agora, e tarde demais?

quinta-feira, 18 de março de 2010

"Show the world that I can make it"

Era o meu ultimo dia com 13 anos. Estava a sair da fase parva de "quero usar roupas hip-hops (mesmo que nao gostasse de ouvir) e sair a noite (que noite? Nao te vao deixar entrar em lado nenhum!). A vida e minha!". Era um domingo muito solarengo, o primeiro de Marco e eu andava louca pela casa (numa loucura contida, porque ainda nao era fixe ser-se louca a frente dos pais) porque no dia seguinte ia na minha viagem de finalistas, fazia 14 anos e tinha feito uma aposta com o meu grupo de amigas que naquela viagem ia comecar a namorar com o meu melhor amigo (que tambem fazia 14 anos, o meu deus, os astros estao alinhados para nos!). Mal eu sabia que a minha vida ia mudar radicalmente nessa tarde solarenga, em que fazia malas e fantasiava com o jogo de "verdade ou consequencia" na parte escura do autocarro que faria o amor da minha vida beijar-me (de lingua). A minha mae aproximou-se (arrancando-me do momento em que ele me dizia "estive sempre a tua espera.") para me dizer que ia dar-me a minha prenda de anos antes da viagem. Dentro de um saco todo colorido estava um perfume, DKNY Be Delicious (ainda hoje um dos meus perfumes de eleicao) e CD - a banda sonora do musical Fame. Berrei, mandei-me aos bracos da minha mae (continuava a nao ser fixe demonstracoes de afecto, mas ninguem viu) e berrei mais um bocado. A minha mae ria-se e contava-me como teve que o mandar vir de Londres porque nao havia a venda em lado nenhum. Cerca de um mes antes, a minha mae tinha-me levado a ver a producao portuguesa do Fame e o meu coracao andava num rebolico em que so pensava "quem me dera, quem me dera" enquanto a minha mae me dizia "so la fora Tania...ca nao ha nada disso." Deu-me o CD para me acalmar o coracao, sabendo bem que so me ia drogar mais. Depois disse quase a medo "tem mais uma coisa para ti...". Olhei para dentro do saco e la estava, num canto, um recorte de jornal: "Aladdin Jr - O Musical. Audicoes para jovens artistas. Espectaculo a apresentar no teatro Rivoli". Demorei algum tempo a digerir.
Fui a audicao, foi a pior prestacao da minha vida, a coreografa era a actriz principal do "Fame" (MAE, ERA ELA, A CARMEN! SIM, DO FAME! FALOU COMIGO!), o director musical fez-me cantar escalas musicais quando eu nem sabia a diferenca entre "do" e "seminima" (true story).
Umas semanas depois, enquanto tomava banho, o meu pai deixou-me um post-it na porta a dizer "Entras-te".
Naquela tarde solarenga de Marco a minha vida estava escrita para mim: Ia namorar e mais tarde casar (no dia do nosso aniversario, claro) com o meu melhor amigo, viver no algarve e fazer surf, ser biologa marinha e tratar dos golfinhos do Zoomarine.
Cerca de cinco anos depois, nao trato de golfinhos, nao vivo no algarve, nao sei muito bem o que e biologia marinha e definitivamente nao namoro com o meu melhor amigo. Mas estou mais perto daquele sonho do "Fame" do que alguma vez me atrevi a sonhar.

* Este texto surgiu como resultado da descoberta do mesmo CD, a muito tempo esquecido.

domingo, 14 de março de 2010

What does stay?

My mam always said to me "Rosie, the man that steals your heart for the first time, will never give it back"...Well I don't believe it true. Cause he's still to come. My first man cannot be my real man cause he left me with nothing good to keep and that ain't no love. You know something? one day, He will come and he'll be a good man, with a good heart to give me a roof and to feed a family.

Im not saying i wanna leave this place, no, never, we could live right here. But I just want him to mean what comes out of his mouth, to say to me "don't worry Rosie, I'll always protect you", so I can tell my kids that their father was a great man...What? Yes, maybe, you're right, maybe I am being a bit stupid. Maybe that was my only chance and there will not be another man to come... It always happens, doesnt it? The man leaves the woman alone, it's not rare, is it? It's really easy, isn't it, to give in to passion? Because he is there...and you know they don't mean what they're saying, but they are saying it, and willing to give you something, that they call love but it really isn't...it's a fake one even if it seems real at the time... I'm smart enough to know it's a lie...Yes, I can do fine by myself.


segunda-feira, 8 de março de 2010

A Tania quer.

Tania Couto esta enrolada num sem-fim de melodias inacabadas com tempos que nao batem certo.
Tania Couto quer o mundo, quer um amante, quer amar, quer o mar, quer gargalhadas descomprometidas, quer compreender os homens, quer compreender as mulheres, quer compreender as relacoes, quer compreender a mente, quer compreender o coracao, quer o sol, quer casa, quer raizes, quer aventura, quer o som de uma guitarra portuguesa, quer o reconhecidmento internacional, quer um orgasmo, quer saber o futuro, quer ser melhor, quer nao saber, quer ser outra pessoa, quer dormir, quer dancar, quer salvar o mundo, quer conversas que valham a pena, quer ser santa, quer sexo, quer conhecer um amor maior e capaz, quer muitos sapatos, quer ser rica, quer ser boa amiga, quer ser os seus idolos, quer ser boa, quer deixar tudo para tras, quer conhecer Deus, quer saber do que fala, quer ficar, quer revolucionar, quer ajudar, quer saber o sentido da vida.


Tania Couto escreve na terceira pessoa porque procura solucoes e procura-as fora do enredo principal. Que ninguem parece compreender.



 

Letras e Tons | Creative Commons Attribution- Noncommercial License | Dandy Dandilion Designed by Simply Fabulous Blogger Templates